] Jornal Correio Popular
Ji-Paraná(RO), 16/10/2021 - 04:57
JORNAL CORREIO POPULAR DE RONDôNIA - Fone: 69-3421-6853 - E-mail: redacao@correiopopular.com.br


DOENÇA TROPICAL
Casos de malária aumentam 54% em Porto Velho

Data da notícia: 2021-10-06 18:42:29
Foto: Assessoria/Divulgação
Mosquito que transmite a malária, doença que ainda mata 400 mil pessoas por ano no mundo

De janeiro a agosto de 2021, 4.525 casos de malária foram registrados em Porto Velho, segundo dados do Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica (Sivep). Os dados apontam um aumento de 54% se comparado ao mesmo período de 2020, quando a Capital registrou cerca de 2.081 casos.

Outro município que apresentou aumento nos números foi Candeias do Jamari. Ao todo, 1.394 casos foram registrados no município e o aumento foi de 16,7%. Guajará-Mirim foi o terceiro município com aumento nos casos de malária, tendo 779 casos e registrando um aumento de 9,3%.


Casos em terras indígenas

O aumento nos casos de malária também foi registrado entre os indígenas que moram na região de Guajará-Mirim. Ao todo, 857 casos foram registrados no primeiro semestre de 2021. O aumento foi de 65%.

A Casa de Apoio a Saúde do Índio (Casai) informou que, “apesar desse aumento na região, nos últimos anos não foram registradas mortes pela doença”. Além disso, nenhum paciente se encontra internado no município.


Malária

O Ministério da Saúde (MS) define a malária como uma “doença infecciosa febril aguda”, causada por “protozoários transmitidos pela fêmea infectada do mosquito Anopheles”.

Qualquer pessoa pode contrair a malária. Quem apresenta várias infecções da doença pode atingir uma imunidade parcial, com poucos ou quase nenhum sintoma. Até hoje, a imunidade total não foi observada. Não há vacina aprovada contra a doença.


Tratamento

O paciente recebe comprimidos fornecidos nas unidades do Sistema Único de Saúde (SUS). Somente os casos graves precisam de hospitalização.

O tratamento indicado depende de alguns fatores: espécie do protozoário infectante; idade e o peso; condições associadas, como gravidez e outros problemas de saúde; e gravidade da doença.


Fonte: G1


Compartilhe com seus amigos:
 




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.