] Jornal Correio Popular
Quinta-feira, 26 / 11 / 2020
JORNAL CORREIO POPULAR DE RONDôNIA - Fone: 69-3421-6853 - E-mail: redacao@correiopopular.com.br


REPORTAGEM
Jornalista vence o câncer durante a pandemia

Data da notícia: 2020-11-17 17:22:44
Foto: Arquivo
Kelly passou por uma luta contra o câncer em meio à pandemia

A jornalista Kelly Pinheiro, de 35 anos, descobriu o câncer em 2019, aos 34 anos. Kelly disse que sentia muitas dores na mama esquerda, porém, não cogitava o câncer de mama, pois sempre ouviu falar que o câncer não doía. Na correria do dia a dia, a sócia diretora de uma rede de comunicação, foi fazer os exames de rotina e descobriu que a dor que ela sentia vinha de um câncer de mama localizado no nervo e conforme ia crescendo, comprimia e assim surgiam as dores agudas.

Quando foi diagnosticada com câncer de mama, Kelly descobriu que estava no nível 3, e logo em seguida já começou o tratamento no mês de dezembro, quando realizou a sua primeira quimioterapia. Com todos os efeitos colaterais que sabemos que existem o que mais marcou Kelly foi à queda do cabelo, onde ela mesma preferiu cortar seu cabelo antes de cair e doar. Mas Kelly, mesmo com toda a sua luta, permaneceu forte.
"Nunca me senti doente", disse Kelly.

Após três meses, a jornalista voltou a fazer uma ressonância e o resultado foi surpreendente: Kelly não tinha mais o câncer e recebeu a notícia da cura, porém ainda precisava terminar duas quimioterapias. Logo depois, Kelly fez a cirurgia de retirada das duas mamas e no mesmo dia, colocou as próteses.

Cura na pandemia
Todo esse relato de Kelly sobre seu tratamento e cirurgia aconteceu em meio a pandemia e, quando perguntada como foi passar por tudo isso, Kelly disse que foi muito difícil. “No início eu tinha toda minha família ao meu lado, que é um carinho super importante pra quem passa por esse tratamento”, contou Kelly que acabou tendo que finalizar seu tratamento sozinha, seguindo todo o protocolo do hospital. “Eu tinha vontade de abraçar toda a equipe que cuidou de mim, mas devido ao Covid, isso não era possível”, lembrou Kelly.

A luta de quem passa pelo câncer de mama não é fácil e Kelly segue sua vida fazendo terapia para curar alguns traumas que ficaram. “Sou grata por ter vencido o câncer em apenas três meses, porem, muitas mulheres levam mais tempo. O câncer me ensinou a dar atenção à todos os sinais do meu corpo. Passada a tempestade, renasci mais forte, determinada e responsável pela maneira como gostaria de viver. Aprendi a fechar os olhos e agradecer por todos os momentos, afinal, estar viva e saudável é uma grande benção. Não deixe o medo te impedir de se informar. É preciso falar mais sobre câncer, de maneira leve e responsável. Pois o medo paralisa e a informação correta sobre prevenção e cuidados, aliada ao amor e à dedicação da família e da equipe médica, cura. Comigo deu certo! E se você estiver enfrentando a mesma batalha, saiba que vai dar tudo certo também”, disse Kelly, deixando uma mensagem de positividade a todos os leitores.


Fonte: Por Regiane Lambert


Compartilhe com seus amigos:
 




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.