] Jornal Correio Popular
Sexta-feira, 03 / 07 / 2020
JORNAL CORREIO POPULAR DE RONDôNIA - Fone: 69-3421-6853 - E-mail: redacao@correiopopular.com.br


FUTEBOL
Paulista completa 100 dias de paralisação

Data da notícia: 2020-06-24 17:29:26
Foto: Divulgação
As 16 equipes se preparam para a volta dos treinos, a partir de 1º de julho. A FPF não tem data para retorno dos jogos

Na quarta-feira (24), o Campeonato Paulista completou 100 dias de paralisação por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A última vez que a bola rolou no estadual de São Paulo foi na décima rodada, na metade de março.

Restam ainda duas rodadas da fase de classificação e os jogos das quartas de final, semifinal e final.

As 16 equipes se preparam para o retorno aos treinos, a partir do dia 1º de julho e têm, até agora, feito testes nos jogadores para detectar a presença do coronavírus, além de outros testes físicos e fisiológicos.

A Federação Paulista de Futebol (FPF) ainda não tem data certa para o retorno dos jogos do Paulistão.
Durante os 100 dias de paralisação, alguns times dispensaram os jogadores e outros optaram por reduzir provisoriamente os salários dos atletas.
Veja abaixo a situação dos quatro principais times de São Paulo e do Santo André, equipe que liderava o Paulistão até a paralisação do campeonato.

Corinthians
O Timão está em crise. O clube deve dois meses de salários aos jogadores, e o presidente, Andrés Sanchez, foi alvo de protestos e pichações da torcida nos muros do Parque São Jorge. É um dos piores momentos financeiros do Corinthians.

Com uma série de processos judiciais para resolver, o clube está com R$ 23 milhões bloqueados pela Justiça, por uma dívida antiga.
2020 é um ano eleitoral no Timão. Em meio a tudo isso, o Corinthians conseguiu acertar a contratação de Jô.

Nesta semana, o clube divulgou que 21 de seus 28 jogadores foram infectados pelo coronavírus durante a quarentena. Treze já estão recuperados e oito afastados.

Palmeiras
O Palmeiras fez um corte de 25% dos salários do elenco e, a fim de não demitir funcionários, também suspendeu momentaneamente o contrato de seus colaboradores com base na MP 936.

No mercado, a diretoria não fez movimentações de chegadas e partidas no atual elenco. Por outro lado, negociou Arthur Cabral com o Basel, da Suíça, após o atacante atingir a meta de 12 gols no clube. Deyverson, por sua vez, está com futuro incerto depois do Getafe, da Espanha, anunciar que não vai prorrogar o empréstimo com o atacante, que deve voltar para o Verdão ou ser emprestado a outro clube.

Santos
O Peixe não fez muitas movimentações. As únicas definições foram as saídas de Felipe Aguilar, para o Atlético, e Evandro, que não teve contrato prorrogado, além da renovação de Lucas Veríssimo até o fim de 2024. Punido pela Fifa, o Santos não pode fazer contratações.

Por conta disso, o técnico Jesualdo Ferreira pode ir em busca de reforços caseiros e seguir apostando em garotos da base na retomada do futebol. O Peixe ainda tenta manter Yuri Alberto, em fim de contrato, mas vê a situação travada. O clube da Vila Belmiro forçou uma redução de 70% de todos os funcionários que recebem mais de R$ 6 mil, incluindo atletas, mesmo sem acordo.

São Paulo
O Tricolor teve dias calmos, na maioria do tempo. O clube foi um dos primeiros a definir um corte salarial para o elenco, de 50%. Houve resistência, mas o desconto foi aplicado mesmo assim.

Os demais funcionários, entre eles os diretores, também tiveram os vencimentos diminuídos. O técnico Fernando Diniz não ganhou nenhum reforço, mas perdeu Antony, vendido no início do ano e que se muda para o Ajax, da Holanda, no próximo mês.

Santo André
O time do ABC Paulista foi uma das surpresas do campeonato. Até a paralisação, o Ramalhão liderava a classificação geral do Paulistão, com 19 pontos.

O time não contratou nenhum jogador e perdeu quatro, entre destaques que não renovaram e outros liberados, devido à necessidade de readequação financeira. Com a pandemia de Covid-19, o clube aderiu aos planos oferecidos pelo governo federal de auxílio às empresas, mas segue com parte dos salários dos jogadores atrasados.


Fonte: Globoesporte


Compartilhe com seus amigos:
 




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.