] Jornal Correio Popular
Sexta-feira, 26 / 02 / 2021
JORNAL CORREIO POPULAR DE RONDôNIA - Fone: 69-3421-6853 - E-mail: redacao@correiopopular.com.br


OPERAÇÃO
Estudantes que viviam na Bolívia são repatriados e voltam a Rondônia

Data da notícia: 2020-04-14 18:38:38
Foto: Assessoria/Divulgação
Alunos foram trazidos em três ônibus cedidos pela Emater e pelo Ifro

No último fim de semana, 159 universitários rondonienses que estudam na Bolívia foram repatriados ao Brasil. Segundo o subcomandante do Corpo de Bombeiros e coordenador da operação realizada pelo governo de Rondônia, Gilvander Gregório, os jovens são estudantes que residem em Cochabamba e Santa Cruz de La Sierra e, devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), tiveram as aulas suspensas e não puderam retornar ao Brasil, já que existem barreiras nas fronteiras de entrada e saída dos países vizinhos e os voos também estão suspensos.

Com apoio dos quartéis dos Bombeiros de Cuiabá (MT), Campo Grande (MS) e Corumbá (MS), as equipes locais trabalharam durante toda a última semana, na missão de trazer os universitários para Rondônia.

Com um ônibus cedido pela Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), a operação teve o apoio da deputada federal Mariana Carvalho (PSDB), que intermediou a cedência de outros dois ônibus do Instituto Federal de Rondônia (Ifro) para o transporte dos estudantes. As listas de alunos rondonienses nessas localidades estrangeiras são repassadas pelo Consulado Brasileiro na Bolívia.

“Todos os alunos passaram pelo teste da Covid-19, tanto na barreira internacional quanto quando chegaram em Vilhena, entrando no estado”, afirmou Gilvander Gregório.

Felipe Ribeiro Gonçalves, 27 anos, está no décimo semestre do curso de medicina em Cochabamba e foi um dos repatriados.
“Lá a saúde é um pouco mais precária e eles estão tomando medidas de prevenção, criando barreiras. Para fazer compras, as pessoas vão com o número da identidade e os dois últimos números determinam em quais dias da semana, cada um pode ir ao supermercado. O horário para as compras também é limitado de 7h até às 12h, e assim eles estão tentando conter o coronavírus por lá”, afirmou o estudante.


Fonte: Assessoria


Compartilhe com seus amigos:
 




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.