] Jornal Correio Popular


Terça-feira, 02 / 03 / 2021
JORNAL CORREIO POPULAR DE RONDôNIA - Fone: 69-3421-6853 - E-mail: redacao@correiopopular.com.br


TURISMO HISTÓRICO
Ministro da Cultura visita Real Forte Príncipe da Beira, em Costa Marques

Data da notícia: 2018-05-21 18:04:14
Foto: Assessoria/Divulgação
O Real Forte Príncipe da Beira está localizado no município de Costa Marques, próximo à fronteira com a Bolívia

À margem direita do rio Guaporé, no município de Costa Marques, fronteira com a Bolívia, o imponente Real Forte Príncipe da Beira é um dos mais importantes e antigo patrimônio histórico de Rondônia e do Brasil, inclusive foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1950.Foi construído em um momento e local estratégico como uma fortaleza portuguesa na Amazônia para coibir a presença de espanhóis.
Atualmente suas ruínas ainda encantam o público, mas para garantir que o monumento símbolo inclusive da bandeira de Rondônia seja preservada e visto pelas próximas gerações, na sexta-feira (18), o governador Daniel Pereira (PSB) e o ministro da Cultura, Sérgio de Sá Leitão, visitaram o monumento e garantiram uma ação conjunta para valorização do patrimônio histórico.
‘‘É fundamental avançar na restauração e revitalização do forte, para isso vai ser importantíssimo um congraçamento envolvendo o governo federal, o governo do estado e também a bancada parlamentar. Nós já estamos investindo cerca de R$ 800 mil para dar início a esse processo, mas serão necessários mais R$ 10 milhões para que o Forte seja devidamente restaurado e possa receber um grande fluxo de turistas e para isso vamos precisar somar esforços para garantir esse recurso’’, garantiu o ministro.
De acordo com a superintendente do Iphan, em Rondônia, Delma Batista, com a liberação do primeiro recurso, o instituto deu início neste ano ao projeto de restauração do monumento.
‘‘Essa é uma etapa que envolve o escoramento de algumas paredes que estavam quase para cair, a limpeza e haverá a construção de canteiros modelos onde serviram de sala de aula e serão expostos artefatos’’, afirmou. Delma Batista tambem esclareceu que a intenção a partir do momento que houver a conquista do recurso total é fazer um trabalho completo de preservação do Forte com estimativa que a obra dure cinco anos.
O ministro ainda destacou que o Forte pertence a um conjunto de fortificações do período colonial brasileiro que o Ministério da Cultura apresentou à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) para receber o título de patrimônio da humanidade. Medida, que segundo ele, dará um impulso significativo para a revitalização do Forte.
Para o governador, o monumento é um patrimônio de grande importância para o estado e para o mundo e não vai medir esforços para mantê-lo preservado. ‘‘Hoje ficamos muito felizes com esse trabalho coletivo, em que todos puderam conferir essa que é uma das belezas amazônicas e que foi um dos maiores desafios da arquitetura da humanidade. Acreditamos que o momento de fazer a restauração do Forte seja agora. Esperamos que o mais breve possamos criar condições para captar o recurso. Nós temos obrigação de fazer com que esse Forte chegue as gerações futuras’’, avaliou.

Real Príncipe da Beira
O Real Forte Príncipe da Beira tem um grande potencial turístico. ‘‘Além de levar em consideração os recursos naturais, é preciso recuperar os patrimônios históricos que temos e o Forte está em um local estratégico no centro do Vale do Guaporé, uma região muito bonita que vale a pena ser vista seja pela beleza e grandeza do Forte Príncipe, seja pela exuberância e beleza da região. O rio Guaporé é um dos mais lindos que há no mundo. O [poeta] Fernando Pessoa se viesse para cá diria que o rio mais bonito que há, é o rio que passa no Forte Príncipe da Beira’’, disse o governador.
O superintendente de Turismo, Gerçon Zanatto, reforçou que Rondônia tem patrimônios culturais e históricos peculiares que são considerados verdadeiras riquezas para o Estado. ‘‘A história de Rondônia é muito bonita, assim também como as obras dos grandes homens que deixaram marcas na consolidação das fronteiras do nosso país e em particular aqui em Rondônia com o Forte Príncipe da Beira. É muito bom contemplar isso e saber que tem mais de 200 anos de história. Rondônia precisa investir no turismo aqui porque é uma atividade econômica muito importante e precisa de preservação e cuidados para atrair tanto turistas do próprio estado e país como de todo o mundo’’, apontou Zanatto.


Fonte: Assessoria


Compartilhe com seus amigos:
 




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.