CP - Morre João Alberto Garcia, mas não sua memória
* *
ARQUIVO POPULAR
Morre João Alberto Garcia, mas não sua memória

Data da notícia: 2020-09-04 19:06:35
Foto: Divulgação
Solenidade de posse de prefeito, vice-prefeito e vereadores em 1º de fevereiro de 1982, no ginásio Gerivaldo José de Souza
A morte do pioneiro e político João Alberto Garcia, aos 96 anos, ocorrida em São Paulo (SP) no dia 2 de setembro, trouxe a lembrança da determinação de tantos homens e mulheres, hoje quase esquecidos, de transformar o Distrito (Vila) de Rondônia em município, realizar a primeira eleição e a instalar a Câmara Municipal de Ji-Paraná. Era o propósito de uma vida.

A assinatura da lei federal nº 6448 de 11 de outubro de 1977 pelo presidente Ernesto Geisel, criando o município de Ji-Paraná, foi muito comemorada pela população e por um grupo de políticos que se esforçou para a emancipação do distrito, mas que ainda tinha pela frente mais cinco anos para realizar a sua primeira eleição.

Foi estabelecido na lei de 1977, que o município seria instalado com a posse de prefeito e vereadores, a eleição para a escola dos representantes públicos, ocorreu apenas em 1982, embora estivesse prevista para 1980. No mesmo curso, caminhava o movimento de criação do Estado de Rondônia. Fato que ocorreu em 21 de dezembro de 1981.

Para que as eleições municipais fossem realizadas em 1982, foram prorrogadas os mandatos de vereadores e prefeitos em todo o país. Já no Estado de Rondônia, os mandatos de vereadores das cidades de Porto Velho e Guajará-Mirim (empossados em 1976), se estenderam por mais dois anos para que coincidissem com as eleições gerais que escolheriam deputados estaduais, federais e senadores.

Em 1º de fevereiro de 1983, às 19 horas, teve início à solenidade de posse de prefeito, vice-prefeito e 15 vereadores de Ji-Paraná. Nela, foi escolhida a Mesa Diretora Provisória que, por aclamação, também foi eleita para presidir o biênio 1983/1984. Ali, João Alberto Garcia já praticava a arte moderação e do consenso. A cerimônia foi realizada no ginásio de esportes Gerivaldo José de Souza.

Nesta sessão solene, foram instalados a Câmara Municipal e, para cumprimento do rito constitucional, o município de Ji-Paraná, como previa a Lei Federal nº 6448 e empossados o prefeito Roberto Jotão Geraldo, o vice Valdemar Camata e os primeiros 15 vereadores ji-paranaenses.

Coube a João Garcia conferir os diplomas e receber as declarações de bens dos novos vereadores. A ele também foi dado o privilégio de ler o texto do compromisso do vereador. “Prometo desempenhar com dignidade e dedicação o mandato popular que me foi confiado, observando as normas constitucionais e leis da República e o estado, trabalhando pelo engrandecimento do município de Ji-Paraná e para o bem geral de seus habitantes”.

Depois de João Alberto Garcia, mais 12 políticos ocuparam a cadeira de presidente da Câmara de Ji-Paraná. Em 37 anos de história, alguns permaneceram por vários biênios, porém ser o primeiro aclamado para o cargo é um fato inesquecível tanto para quem viveu esse período quanto para as novas gerações.

Durante sua vida fora da política, ele nunca esqueceu e comentava sempre com orgulho para parentes e pessoas próximas sobre os anos em que trabalhou para transformar o distrito em município, organizar a primeira eleição e assumir a primeira presidência da Câmara Municipal de Ji-Paraná. Também não nos esqueceremos do nosso primeiro presidente.


Fonte: Jairo Ardull


Compartilhe com seus amigos: